Central de Reservas: 0800 70 75 292
Acompanhe-nos
nas redes sociais

BLOG

Livro conta a relação do gaúcho com o churrasco

Livro “Os Gaúchos e O Churrasco – uma jornada ao redor do fogo”

 A relação do gaúcho com o churrasco e como ela começou é resgatada na obra ‘Os Gaúchos e O Churrasco – uma jornada ao redor do fogo’, assinada pelo jornalista e escritor Ricardo Bueno. O livro tem idealização e curadoria de Clarice Chwartzmann e imagens de Carin Mandelli e foi lançado em evento na churrascaria Galpão Crioulo no Parque da Harmonia), em Porto Alegre. Até o dia 15 de dezembro, acontece no local uma exposição com fotos captadas ao longo do projeto.

 

A ideia da publicação surgiu a partir de uma entrevista do jornalista Ricardo com Clarice. Inicialmente, a proposta era inserir em um livro sobre o churrasco o perfil da chef que percorre o País ensinando às mulheres as técnicas do preparo das carnes nas brasas. Ela, no entanto, percebeu que a história poderia ir além e a obra passou a focar os diferentes modos de assar o churrasco e suas origens em cada região do Rio Grande do Sul. Com a companhia da fotógrafa Carin, o trio seguiu em expedições pelo Estado para reconstituir a trajetória da tradição culinária e da própria formação da identidade do gaúcho. O trabalho durou seis meses.

 

Clarice analisa que “nenhum outro estado brasileiro possui tanta diversidade cultural, ao menos quando o assunto é churrasco, como o Rio Grande do Sul”. Para ela, isso se dá graças às diferentes imigrações que aportaram na região e ao compartilhamento de saberes nas fronteiras, além da cultura da pecuária. Ricardo complementa dizendo que “a entrada do gado com os jesuítas, em 1634, que daria origem aos imensos rebanhos que alimentariam os gaúchos durante centenas de anos, e, mais tarde, a chegada das raças britânicas no início do século 20, são alguns marcos importantes”.

 

A publicação de 172 páginas retrata a trajetória que começou na região das Missões, onde o padre jesuíta Cristóvão de Mendonça introduziu o gado franqueiro, em 1634. Para contar a jornada do churrasco e dos gaúchos, a equipe visitou São Miguel das Missões, Lagoa Vermelha, Cambará do Sul, Santana do Livramento, Pelotas, Flores da Cunha e Santa Maria, e registrou o uso dos espetos ou da grelha, as peculiaridades da salga, os cortes, a preferência pela brasa ou pela labareda. Exemplares de uma edição limitada do livro serão comercializados na churrascaria Galpão Crioulo.

Fonte: ColetivaNet


Comentários



Newsletter background

Receba nossas novidades