Central de Reservas: 0800 70 75 292
PT EN Acompanhe-nos
nas redes sociais
Acesso restrito.

BLOG

Associação Nacional de Restaurantes faz série de pedidos ao Ministério da Economia para minimizar crise do setor com o coronavírus

Associação Nacional de Restaurantes propõem medidas para minimizar o impacto do coronavírus

A Associação Nacional de Restaurantes (ANR) acompanha com muita apreensão a evolução do coronavírus em nosso país. A entidade faz parte de um setor fundamental da economia, com faturamento superior a R$ 300 bilhões e que emprega cerca de 6 milhões de brasileiros.  Mais de 9 mil pontos comerciais em todo o país integram a associação, entre marcas independentes, redes e franquias, empresas líderes em seu segmento e que atendem milhões de pessoas diariamente.

O desafio pelo qual passa nosso país, seja em relação à saúde pública como na condução da economia, não tem precedentes em nossa história. Poupar vidas com medidas práticas adotadas por governos, pelas empresas e pelos cidadãos é missão fundamental e prioritária nesse momento.

A ANR tem se destacado ao longo de sua história por liderar movimentos dentro do setor para a melhora contínua de processos que têm por objetivo profissionalizar ainda mais o segmento e aprimorar medidas de boas práticas no mercado de alimentação fora do lar. Nesse contexto está inserida a preocupação da ANR com a segurança alimentar, com a saúde de seus colaboradores e clientes. Por isso, a entidade realiza há 9 anos o Encontro Nacional de Vigilâncias Sanitárias (Encovisas), com o objetivo de aproximar o setor regulador e o regulado, aprimorar a saúde e a segurança alimentar do consumidor brasileiro.

Mas o momento atual exige de todos nós um esforço ainda maior para minimizar os impactos da doença nos negócios, com foco na manutenção dos empregos.

Diante desse cenário, a ANR tem feito gestões junto ao Governo Federal e dos estados para minimizar os efeitos do coronavírus na economia. Entre as medidas que estão sendo pleiteadas junto ao Ministério da Economia estão:

 

1)    Financiamento de impostos devidos e do período da crise (a partir de março de 2020) para um prazo de até 120 meses, a partir de janeiro de 2021.

2)    Edição de nova Medida Provisória ou inclusão no texto da MP do Contrato Verde e Amarelo, em regime de exceção por conta da crise, sobre a redução da jornada de trabalho e salário, sem qualquer entrave ou burocracia, por meio de acordo entre empresas e trabalhadores;

3)    No mesmo contexto, permitir a flexibilização das regras para concessão de férias individuais e coletivas;

4)    Permitir a desoneração da folha de pagamentos com a migração de funcionários para um regime especial, como o Contrato Verde Amarelo ou MP específica para a contenção da crise;

5)    Criação de linhas especiais de crédito para fomentar a recuperação das empresas.

Paralelamente, a ANR também reivindica junta aos governos estaduais:

1)    Suspensão dos pagamentos de ICMS (em 2020) e pagamentos financiados em até 120 meses a começar em janeiro de 2021.

2)    Criação de linhas de créditos especiais destinadas a financiar a recuperação das empresas;

 

A ANR se compromete a adotar políticas com vistas a minimizar qualquer risco de contaminação pelo coronavírus, recomendando aos associados:

 

1)    Reduzir a capacidade dos restaurantes e aumentar o distanciamento das mesas;

2)    Disponibilizar álcool gel para colaboradores e clientes;

3)    Afixar placas e cartazes com medidas preventivas em relação à doença;

4)    Impedir a permanência de clientes em pé nas dependências do estabelecimento.

 

A ANR entende que a diminuição da circulação das pessoas nas ruas e a adoção de home office por muitas empresas podem causar um ligeiro aumento no movimento dos serviços de entrega a domicílio. Nesse sentido, a entidade buscará uma negociação com as principais empresas desse mercado para a redução das taxas enquanto durar o período mais agudo da crise.

 

A ANR segue confiante de que o país irá superar mais esta crise com a adoção de medidas urgentes pelo Governo e pelas próprias empresas para a retomada do crescimento.


Comentários



Newsletter background

Receba nossas novidades

2020-04-09 10:17:38 - 1586427458
Já foi!