Central de Reservas: 0800 70 75 292
PT EN Acompanhe-nos
nas redes sociais
Acesso restrito.

BLOG

Vale dos Vinhedos I: Bento Gonçalves. Inverno, tempo de se aquecer na serra gaúcha

Nesta primeira matéria sobre o Vale dos Vinhedos, conheça as atrações de Bento Gonçalves, a pouco mais 100 km de Porto Alegre

É tempo de se aquecer na Serra Gaúcha. Conheça o Vale dos Vinhos, em Bento Gonçalves, cidade que fica a pouco mais 100 km de Porto Alegre. Localizado na Serra Gaúcha, o Vale representa o legado histórico, cultural e gastronômico deixado pelos imigrantes italianos que chegaram à região em 1875, em perfeita harmonia com as modernas tecnologias para produção de uva e vinhos finos e infraestrutura turística de alta qualidade.
Com paisagens apaixonantes que apresentam diferentes tonalidades nas quatro estações do ano, o Vale dos Vinhedos encanta também pela hospitalidade de seus moradores e pela qualidade dos serviços e produtos oferecidos. Pequenas propriedades rurais compartilham o território com vinícolas de diferentes portes, contemplando desde cantinas familiares, boutiques e de garagem, assim como grandes empresas que contam com parcerias internacionais.
Os vinhos do Vale dos Vinhedos apresentam identidade, sendo os únicos no Brasil a deterem Denominação de Origem. A região foi a primeira no país a ser reconhecida como Indicação Geográfica, sendo garantida pela Aprovale a origem dos seus vinhos finos produzidos.
As vinícolas e atrações situadas no Vale estão abertas à visitação ao longo de todo o ano. Assim como podem ser realizadas visitas guiadas, degustações comentadas e jantares harmonizados. Complementando a oferta turística, restaurantes, bistrôs, ateliês de arte, armazéns de queijos, doces e geleias coloniais e gourmet estão distribuídos ao logo da rota, que reserva inúmeras outras atrações aos turistas que fazem esse passeio encantador.

Saiba mais
ATRATIVOS ENOLÓGICOS
O Vale dos Vinhedos abriga mais de três dezenas de vinícolas de diferentes portes, passando pelas pequenas cantinas familiares, vinícolas boutique e também grandes grupos com participação internacional. Essa diversidade reflete a força dos vinhos elaborados na região, reconhecidos pela qualidade. Todas as empresas estão de portas abertas durante os 365 dias do ano. Cada uma oferece uma forma diferente de entrar em contato e conhecer um pouco mais do mundo vitivinícola.

Passeio nos parreirais e programação de colheita de uvas
Realizada no período da colheita da uva, que vai do final de janeiro a meados de março.

Vale dos Vinhedos: Bento Gonçalves, uvas

A colheita de uvas nos parreirais de Bento Gonçalves é uma das atrações de quem visita o Vale dos Vinhedos entre janeiro e março. Fotos: Leonid Streliaev

Festa da Vindima
Com as maioria das vinícolas instaladas no roteiro, grupos de música e a própria comunidade, o Vale dos Vinhedos organiza uma grande festa para comemorar a abertura oficial do período da colheita. A data é móvel, pois depende do comportamento da safra que muda de ano a ano, conforme as condições climáticas. Entretanto, ela sempre é realizada entre o final de janeiro e início de fevereiro.

Cursos de degustação de vinhos
São realizados desde cursos básicos, com poucas horas de duração, assim como degustações de safras especiais ou com conteúdos extensos, com duração de um dia ou mais. Estes cursos são ofertados de acordo com calendário individual próprio, sendo necessário consultar disponibilidade com os empreendimentos. Miolo Wine Group, Casa Valduga e Vinícola Aurora oferecem cursos semanalmente, mediante agendamento antecipado.

Refeições harmonizadas
Os restaurantes costumam realizar almoços ou jantares harmonizados em feriados ou em datas específicas. Também se dispõem a organizar este tipo de refeição mediante agendamento prévio para grupos. As datas e agendamentos devem ser feitos diretamente com os empreendimentos.

Visita guiada às áreas de processamento de vinhos
Este tipo de visitação é um dos grandes diferenciais do Vale dos Vinhedos em relação aos demais roteiros mundiais de enoturismo. A visitação é oferecida pela maioria das vinícolas instaladas no roteiro, está disponível durante todo o ano e não é necessário agendamento prévio, a não ser para grupos com mais de 15 pessoas. Neste caso, é obrigatório o agendamento com os empreendimentos para que possam se preparar adequadamente para recebê-los.

Vale dos Vinhedos: Bento Gonçalves, vinho

Um dos grandes diferenciais do Vale dos Vinhedos é a visita guiada nas vinícolas na área de processamento de vinhos. Foto: Leonid Streliaev

Degustação orientada de produtos
Assim como a visita guiada, a maioria das vinícolas oferece a degustação de seus produtos, estando disponível durante todo o ano e sem necessidade de agendamento para pequenos grupos (para grupos com mais de 15 pessoas, o agendamento é obrigatório). As degustações normalmente são realizadas por enólogos, sommeliers ou profissionais capacitados para esta atividade. Algumas vinícolas cobram taxas que variam entre R$ 10 e R$ 25 por pessoa, que inclui a visitação. O valor pode ser reembolsado com a aquisição de produtos nos próprios empreendimentos ou o visitante recebe um brinde.

ATRATIVOS CULTURAIS
O prazer em conversar com os amigos e festejar, assim como a devoção religiosa e a dedicação ao trabalho. Estes são alguns dos legados dos imigrantes italianos que colonizaram o Vale dos Vinhedos a partir de 1875. Esta herança pode ser vivenciada no Vale através das festas, no bem-receber da comunidade ou na contemplação das pequenas igrejas e dos 20 capitéis localizados ao longo das vias do roteiro. O artesanato, produtos coloniais e mesmo a temática dos ateliês dos artistas plásticos instalados no Vale também fazem referência à esta herança europeia. Explore os atrativos culturais e leve na bagagem mais do que souvenirs deste pequeno museu da imigração italiana no Rio Grande do Sul.

Memorial do Vinho e Casa do Filó
Guarda peças da época da colonização e reconta a história da imigração italiana em painéis e fotos.

Famiglia Tasca
O empreendimento mantém um pequeno memorial, com peças que remetem à vida em família e do trabalho dos primeiros imigrantes que chegaram à região, onde também são comercializados sucos e geleias.

Atelier Refúgio da Colina
Local onde a artista plástica Claudia Giordani trabalha e expõe suas obras. Os destaques de seu acervo são as peças elaboradas em cerâmica, podendo ser esmaltadas ou não. É possível encontrar peças decorativas, assim como utensílios domésticos elaborados no torno da artista.

Artesanato do Vale
Em uma pequena lojinha instalada em uma réplica da casa de imigrantes italianos, a artesã Alice Bragagnollo comercializa souvenirs e peças de artesanato tradicional da região.

Engenho do Vale
O empreendimento comercializa móveis em madeira rústica inspirados nas áreas rurais da Serra Gaúcha.

Igrejas e capiteis
Com visitação externa, as cinco pequenas igrejas localizadas no Vale dos Vinhedos foram construídas com inspiração arquitetônica dos santuários italianos e frequentadas pelas comunidades desde a época da imigração. Já os mais de 20 pequenos capitéis em homenagem aos santos de devoção dos antigos imigrantes são mantidos pelos moradores e localizam-se ao longo das vias que cortam o Vale dos Vinhedos.

Festas e filós
Ao longo das quatro estações do ano, é possível participar das tradicionais festas de comunidade existentes no Vale dos Vinhedos, ou ainda participar dos filós oferecidos aos visitantes pelos empreendimentos da rota. O filó recupera as tradições dos imigrantes italianos, que cantavam e jogavam enquanto degustavam do vinho e da culinária típica da região.

ATRATIVOS GASTRONÔMICOS
A mesa farta, com saborosas refeições acompanhadas de vinhos com tradição familiar é uma das mais celebradas caracterí¬sticas da Serra Gaúcha. Tanto a gastronomia italiana colonial, com seus segredos culinários repassados de geração em geração, como a cozinha contemporânea e os bistrôs gourmets, com cardápios chancelados por chefs renomados, fazem o deleite dos visitantes. Sucos, grostolis, chimias, cucas, queijos, geleias, embutidos, biscoitos, doces e outras delícias para alimentar o corpo e a despensa de casa formam uma verdadeira delicatessen a céu aberto. Estas delícias estão distribuídas em mais de 20 empreendimentos voltados à gastronomia.

Escolha a opção que mais agrada ao seu paladar e bom apetite!
Refeições com cardápio italiano colonial
– Giordani Gastronomia Cultural
– Restaurante Casa Madeira
– Restaurante Sbornea’s
– Ristorante Del Fillipi
– Ristorante Nonna Metilde
– Ristorante Nonno Madiero

Restaurante com cardápio italiano tradicional
– Restaurante Canta Maria: grelhados e massas
– Trattoria Mamma Gema: sequência de massas
– Restaurante Casa di Paolo: massas e galeto ao primo canto
– Valle Rustico Restaurante: sequência de pratos com menu inspirado na estação do ano.

Restaurantes em vinícolas
– Restaurante Maria Valduga: localizado no complexo da vinícola Casa Valduga
– Restaurante e Café Vallontano: junto ao varejo da Vinícola Vallontano Vinhos Nobres

Cafés e bistrôs
– Restaurante e Café Vallontano: localizado junto à vinícola Vallontano
– Jardim Leopoldina.

Agroindústrias de alimentos
– Adega Casa Madeira: suco de uva e mais de 15 variedades de geleias
– Artes e delícias: massas, biscoitos e doces caseiros
– Cogumelos da Serra: cogumelos cultivados no Vale dos Vinhedos
– Itallini Biscotteria: biscoitos finos artesanais com receitas harmonizadas com vinhos e outras bebidas
– Queijaria Valbrenta: queijos gourmets feitos artesanalmente e em pequenos volumes
– Jardim Leopoldina: chocolates, gelattos (sorvetes), vinhos e espumantes
– Zaccaron Alimentos e Dolcetto do Vale: massas rechedas, molhos prontos, dolcettos caldos e fredos e cookies.

Os empreendimentos do Vale dos Vinhedos estão abertos diariamente, incluindo fins de semana e feriados. Todos esperam sua visita com uma gama de atrativos a oferecer.

Dicas:
– As visitas ao Vale dos Vinhedos podem ser realizadas de maneira independente, ou seja, você vem com seu carro e faz paradas em empreendimentos do seu interesse.
– Para grupos pequenos, o agendamento de visitas não é necessário. Agendamentos são solicitados para grupos maiores de 15 pessoas. Neste caso, o contato deve ser realizado diretamente com os empreendimentos a serem visitados.
– Se você programou sua viagem para os meses de julho, dezembro, janeiro e fevereiro, ou ainda para algum feriado prolongado, efetue sua reserva de hospedagem antecipadamente. Estes meses e datas são bastante disputados em termos de reserva para pernoite.
– As mais de 30 vinícolas existentes na rota oferecem degustação de vinhos e espumantes, então, lembre-se: o motorista deve degustar apenas suco de uva e aproveitar as promoções especiais encontradas no varejo para degustar seus vinhos quando chegar no local onde está hospedado. Caso todos os visitantes tenham interesse em degustar, há agências de turismo receptivo local, que oferecem o transporte executivo.

Para maior comodidade em seu passeio, siga algumas dicas de quanto tempo dura:
– Visita guiada a uma vinícola de maior porte: tempo mínimo de 1h30min
– Visita a uma vinícolas de menor porte: mínimo de 45 minutos – Pausa para refeição: mínimo 1h30min
– Visita a uma agroindústria para degustação e compra de queijos, embutidos, geleias, biscoitos, doces e massas: mínimo de 30 min
– Visita a uma atração cultural, como o memorial do vinho, ateliê de arte/artesanato, igrejas e capelas: mínimo de 30 minutos.
– Pausa para um café/lanche: 30min
– Pausa para apreciar a paisagem e conversar com moradores do Vale: 1 hora
– Horário médio de atendimento dos atrativos do Vale dos Vinhedos: das 8h30min às 18h. Porém, verifique junto ao seu empreendimento de interesse os horários de atendimento, caso seu roteiro já esteja pré-programado.

Tire um dia ou mais para visitar Bento Gonçalves e descanse no Plaza São Rafael Hotel. Bom passeio!

Fonte: valedosvinhedos.com.br


Comentários



Newsletter background

Receba nossas novidades