Central de Reservas: 0800 70 75 292
PT EN Acompanhe-nos
nas redes sociais
Acesso restrito.

BLOG

Hotelaria de Porto Alegre faz balanço positivo e revela bom faturamento nos dias da Copa do Mundo

Passado o Mundial, o  contabiliza os resultados alcançados e reflete sobre o legado que o evento deixa para a cidade. Nos 18 dias em que a Capital esteve envolvida na Copa, o setor faturou aproximadamente R$ 200 milhões – R$ 55 milhões somente com a hospedagem dos visitantes. O investimento em qualificação da mão-de-obra para receber bem os turistas mobilizou os empresários de hotéis, bares e restaurantes e o resultado foi constatado durante o evento, com muitos elogios ao clima hospitaleiro da cidade. Conforme levantamento realizado pelo SINDPOA com 53 restaurantes e bares localizados na Cidade Baixa, no Moinhos de Vento e no Caminho do Gol, além de churrascarias e galeterias espalhadas pela cidade, mais de 80% estavam preparados com estoque e funcionários extra, cardápio traduzido. A pesquisa também indica que 100% dos estabelecimentos localizados no Moinhos de Vento e no Caminho do Gol receberam turistas durante o período. Alguns estabelecimentos, no entanto, registraram queda nas vendas no período, por não estarem neste circuito mais frequentado pelos turistas. O presidente do SINDPOA, Henry Chmelnitsky, avalia que ainda assim, o saldo é positivo. “O importante é que Porto Alegre reafirmou sua vocação turística e que tem capacidade para receber grandes eventos e turistas estrangeiros com qualidade”, argumenta. Ele ainda destaca a qualidade do trabalho de orientação aos turistas, realizado nos Centros de Atendimento ao Turista (CATs) e Centros de Informação ao Turista (CITs). “As pessoas tiveram facilidade para se localizar e optar pelos locais para se hospedar e se alimentar”, diz. Na hotelaria, a ocupação ficou em 70%, o que representa uma média de 126 mil diárias. “Esperávamos atingir os 90%, mas o importante é que houve uma boa exposição para a cidade”, afirma o presidente do Sindicato da Hotelaria de Porto Alegre (SHPOA), Carlos Henrique Schmidt. Os sete hostels da cidade tiveram ocupação média de 90%, com um aumento de 54% no movimento e uma diária média de R$ 111,29. Os motéis também receberam um volume maior de pessoas durante o Mundial, com aumento de 50% e diária média de R$ 85,00.


Comentários



Newsletter background

Receba nossas novidades